Canção de Primavera - Mario Quintana

Compartilhar “Um azul do céu mais alto
Do vento a canção mais pura
Me acordou, num sobressalto
Como a outra criatura…

Só conheci meus sapatos
Me esperando, amigos fiéis
Tão afastado me achava
Dos meus antigos papéis!

Dormi cheio de cuidados
Como um barco soçobrando
Por entre uns sonhos pesados
Que nem morcego voejando...

Quem foi que ao rezar por mim
Mudou o rumo da vela
Para que despertasse assim
Como dentro de uma tela?

Um azul do céu mais alto
Do vento a canção mais pura
E agora… este sobressalto...
Esta nova criatura!”.

                          Mario Quintana 






Sei cada um desses versos decorado. Lembro com saudades da 4ª série e da professora que sempre fazia um momento de leitura. Toda semana os alunos deveriam escolher e levar uma poesia para ler na frente da turma e as poesias que a professora mais gostava eram colocadas no mural da sala. Justamente essa bela poesia, com a qual me identifico tanto hoje, foi a poesia que a professora escolheu para eu decorar para a apresentação de poesias feita para os pais, na quadra do colégio. Na época foi uma tarefa realmente difícil e pensei que não iria conseguir falar na frente de todos, pois não tinha nem mesmo certeza de que havia conseguido realmente decorar. Ah, velhos tempos! E como é doce o momento, quando num belo dia de sábado, 15 anos depois, a poesia vem pronta na ponta da língua.

0 recordações:

Postar um comentário

Conte suas experiências e vamos recordar juntos!

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...